sábado, 16 de Outubro de 2010

Enviar dinheiro para o Brasil, como fazer?

   Uma das muitas razões para uma pessoa decidir imigrar é melhorar sua condição financeira, a sua e a de sua família. Poderia arriscar dizer que esse é 90% dos casos de imigração.
   Assim que a pessoa consegue se estabelecer e ganhar seu dinheiro vai percebendo que, apesar de o euro valer mais que o real, enviar dinheiro para seu país de origem é duro, pois aqui a vida é feita em euros, ou seja, do que se ganha sobra pouco para enviar ao Brasil. Antigamente este quadro era um melhor, pois um euro valia 4 reais, mas este ano o euro já teve a cotação de dois reais.
   A desvalorização do euro é um dos maiores motivos do regresso de Brasileiros de Portugal atualmente, aliado é claro ao fato da grande crise económica que Portugal atravessa, com um dos maiores índices de desemprego da  história e uma recessão crescente.
   Mas enfim vamos as coisas práticas.  A mais famosa e conhecida rede de envio de dinheiro é a Western Union. Você pode enviar até 500 euros por uma taxa de 4,90€, se o envio for de 48h horas, ou seja, chega dois dias depois no Brasil, você fornece o nome completo da pessoa que vai receber o dinheiro e eles te fornecem um número o MTCN, que você deverá repassar a pessoa beneficiária. Lá no Brasil quem vai receber o dinheiro deve ir a qualquer agência do Banco do Brasil, com seu bilhete de identidade e o número MTCN e pegar o dinheiro. Há ainda a possibilidade de enviar dinheiro para que chegue no mesmo dia, mas a taxa de envio sobe para quase nove euros.
   Há diversas outras agências de envio de dinheiro como a Western Union, para quem tem paciência é interessante fazer a comparação dos câmbios entre o euro e o real e as taxas de envio e de quanto tempo demora para chegar, as vezes consegue-se achar agências mais baratas e economizar uns trocos.
   Os bancos também fazem transferências internacionais, mas geralmente as taxas ficam em torno de 15 euros. Pode acontecer de ficar mais barato caso seu banco tenha relações com o banco da pessoa que vai receber dinheiro, mas nunca fica mais barato que enviar por agência. Por muitas vezes a própria Western Union se associa a um banco para fazer promoções de envio a taxa zero, vale ficar de olho se seu banco está promovendo esta oportunidade.
   Há ainda a possibilidade de enviar dinheiro pelos Correios Brasileiros, confesso que nunca usei e não sei bem como funciona, mas parece ser bastante confiável e dizem ter boas taxas. Para quem quiser conhecer mais fica o  site http://www.correios.com.br/produtos_servicos/vale_postal_eletronico/vale_postal_eletronico.cfm

até a próxima!

domingo, 10 de Outubro de 2010

Vão falar de nós!

Atenção pessoal!
Vão falar sobre a imigração brasileira pelo mundo!
Será em um seminário chamado "Migrações Internacionais: Brasileiros pelo Mundo" que vai acontecer no ISCTE (na Cidade Universitária, linha amarela do metro), no dia 18/10 das 9h as 19h15.
É um espaço de discussão aberto a todo mundo, não só para quem é estudante universitário ou acadêmico.
Para você que sempre teve curiosidade de conhecer uma faculdade, de saber como são as coisas lá dentro, de como funciona um pouco o ambiente universitário, aparece! Não fiques com vergonha. Não paga nada, ninguém te pergunta nada, mas claro se você quiser participar falando alguma coisa, pode também!
Se não puderes ir o dia todo também não tem problema, aparece no horário que for melhor para você.
Estão todes convidad@s!
Abaixo a programação:


Lisboa, 18 de Outubro de 2010
ISCTE-IUL
Auditório B203, Edifício II do ISCTE


9.00 SESSÃO DE ABERTURA E BOAS VINDAS
FERNANDO LUÍS MACHADO, DIRECTOR CIES-­‐IUL
RENAN PAES BARRETO, CÔNSUL GERAL DO BRASIL EM LISBOA


9.15 VAGAS ATLÂNTICAS: BRASILEIROS EM PORTUGAL - APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS I 
MODERADORA, MARIA XAVIER, CASA DA AMÉRICA LATINA
BEATRIZ PADILLA, CIES-­‐IUL, “PERFIL DOS IMIGRANTES, FAMÍLIAS E TRANSNACIONALISMO”
CATARINA EGREJA E JOÃO PEIXOTO, SOCIUS-­‐ISEG, “INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E MOBILIDADE PROFISSIONAL” 
COMENTÁRIOS:
ANA CRISTINA BRAGA MARTES, FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS‐SÃO PAULO

10.45 COFFEE BREAK

11.00 VAGAS ATLÂNTICAS: BRASILEIROS EM PORTUGAL - APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS II
MODERADORA, KACHIA TÉCHIO, CRIA-­‐FCSH/UNL
PEDRO GÓIS E JOSÉ CARLOS MARQUES, CES, “PROCESSOS DE INTEGRAÇÃO DOS BRASILEIROS NA SOCIEDADE PORTUGUESA”
THAIS FRANÇA, CES E BEATRIZ PADILLA, CIES-­‐IUL, “IMIGRAÇÃO BRASILEIRA E
PERSPECTIVA DE GÉNERO”
COMENTÁRIOS:
JORGE MALHEIROS, IGOT-UL

12.30 ALMOÇO


14.00 A DIÁSPORA BRASILEIRA NO MUNDO I
MODERADORA, ÉRIKA MASANET, CIES-­‐IUL
DUVAL MAGALHÃES FERNANDES, PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS
GERAIS, “DEMOGRAFIA DA EMIGRAÇÃO BRASILEIRA”
LEONARDO CAVALCANTI, UNIVERSIDAD AUTÓNOMA DE BARCELONA, “OS BRASILEIROS NA ESPANHA”
VALTER ZANIN E GIULIO MATTIAZZI, UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI PADOVA “OS
BRASILEIROS NA ITÁLIA”


15.45 COFFEE BREAK


16.00 A DIÁSPORA BRASILEIRA NO MUNDO II
MODERADOR, JOÃO SARDINHA, CEMRI-­‐UA
ADRIANA CAPUANO DE OLIVEIRA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC, “OS BRASILEIROS
NO JAPÃO”
OLIVIA SHERINGHAM, UNIVERSITY OF LONDON, “BRASILEIROS NA IRLANDA. O CASO
DOS GOIANOS” 
ANA CRISTINA BRAGA MARTES, FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS‐ SÃO
PAULO, “BRASILEIROS NOS ESTADOS UNIDOS” 
SUELI SIQUEIRA, UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE, “MIGRAÇÃO BRASILEIRA NO REINO UNIDO”



18.00 MESA REDONDA SOBRE IMIGRAÇÃO BRASILEIRA E RETORNO
MODERADORA, MARTA BRONZIN, OIM
SUELI SIQUEIRA, UNIVERSIDADE VALE DO RIO
DOCE, ADRIANA CAPUANO OLIVEIRA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC, ÉRIKA MASANET, CIES-­‐IUL, RENAM PAES BARRETO, CÔNSUL GERAL DO BRASIL EM LISBOA,
REPRESENTANTE DA CASA DO BRASIL EM LISBOA

19.15 ENCERRAMENTO




sexta-feira, 8 de Outubro de 2010

A naturalidade e a nacionalidade do seu bebê.

   Muita gente acha que o fato de se ter um bebê em outro país, automaticamente seu bebê fica com a nacionalidade estrangeira. Esse é um dos mitos mais frequentes que se ouve no boca a boca. Muitos pais e mães são pegos de surpresa quando descobrem que mesmo tendo nascido em Portugal,  seu bebê não é automaticamente um cidadão português. Isso não acontece só em Portugal, mas na maioria dos países é assim. Ser natural de um país é muito diferente de ser nacional. A nacionalidade implica ter vínculos maiores com o país, como o vínculo linguístico, cultural e educacional.
   O caso em que o bebê recebe automaticamente a nacionalidade portuguesa acontece somente se, ou o pai ou a mãe, forem cidadãos portugueses. Se os pais forem estrangeiros (regularizados ou não), a criança recebe somente o registro de nascimento, onde vai constar ser o bebê natural de Portugal. Geralmente os registros de nascimento são feitos ainda na maternidade.
   Seu bebê só receberá uma nacionalidade se você com este registro de nascimento for até o Consulado Brasileiro para fazer o registro de nascimento brasileiro (que é de graça). A partir daí seu bebê passa a existir para o governo Brasileiro, porém a nacionalidade brasileira só tem validade quando este registro emitido no Consulado for levado a um cartório no Brasil e não é qualquer cartório, há em cada cidade um cartório específico para validar os registros de nascimentos de brasileiros nascidos no exterior.
   Seu filho ou filha poderá um dia ter a nacionalidade portuguesa depois de ter os 6 anos de título de residência, ou quando fizer 18 anos e estiver residindo em Portugal.
   Há atualmente uma política para regularizar @s filh@s de imigrantes que se encontram nas escolas. Após um(a) filh@ conseguir a residência fica mais fácil para os pais se regularizarem através dos seu(a)s filh@s. Mas lembrem-se que é tudo muito demorado, burocrático e penoso.

Dica: lembrem-se, os bebês também precisam de passaporte para viajar, até cachorros precisam de passaporte para viajar! O passaporte é o único documento de identificação reconhecido em outros países. Pode parecer uma informação boba, mas muita gente acha que basta dizer que é pai e mãe de uma criança, e mostrar o registro de nascimento, que é o suficiente para poder viajar.

sábado, 2 de Outubro de 2010

COMO VOTAR AMANHÃ?

Oi Gente!

   Vim dar aquelas informações básicas para a votação a presidente de amanhã.
   Para minha surpresa já faz mais de uma semana que o site do Consulado do Brasil em Lisboa está fora do ar, só consigo acessar as páginas secundárias, a página principal nada aparece. Isso é incrível que aconteça tão próximo das eleições mais importantes do país, mas enfim, sobre os serviços ou deserviços consulares falamos em outra altura.
   A única e pouca informação que consegui no site do Consulado, através de uma pesquisa sobre perguntas frequentes é que qualquer dúvida sobre eleições é preciso ir no site da Justiça Eleitoral, então lá fui eu.
  No site é possível consultar através do seu nome o local onde você deve votar http://www.justicaeleitoral.gov.br/eleitor/titulo-e-local-de-votacao/consulta-por-nome

   No meu caso deu que devo votar no Consulado de Lisboa, o que acho estranho, porque até onde sei as votações todas se concentram na Faculdade de Direito, no Campus Universitário (metro da Cidade Universitária linha amarela). Mas enfim, por via das dúvidas entre no site da justiça eleitoral e pesquise seu local pelo seu nome.

   No Porto a coisa está mais bem organizada, lá o site do Consulado dá todas as informações e ainda coloca mapinha pra galera se orientar http://www.portalconsular.mre.gov.br/mundo/europa/republica-portuguesa/porto. Coloca inclusive a lista de candidat@s com seus respectivos números. Grande diferença pro site do consulado de Lisboa.


   O horário das eleições é das 8h as 17h
E lembro que os documento necessários são: "documento de identidade brasileiro com foto (RG, carteira de trabalho, reservista, passaporte, carteira de habilitação, carteiras funcionais, como da OAB). Recomenda-se levar também otítulo de eleitor, a fim de facilitar a localização da seção eleitoral em que irá votar." (site do Consulado do Brasil no Porto).


   Se tiver dúvidas sobre seu título eleitoral, sobre sua transferência do título, se você está em dia com a justiça eleitoral, justificativas, etc... vá ao site da justiça eleitoral http://www.justicaeleitoral.gov.br/. Lá tem tudo explicadinho, fácil de achar e até uma secão para eleitores no exterior.

   E lembre-se vote consciente, mesmo que seja para anular, saiba muito bem porquê está fazendo.

sexta-feira, 1 de Outubro de 2010

Anotem na Agenda!

Olha aí pessoal, em Outubro vamos ter um ótimo evento, principalmente para aquelas pessoas que sempre quiseram conhecer um associação e esperavam um motivo.
É A INAUGURAÇÃO DA NOVA SEDE DA CASA DO BRASIL
Para quem não sabe, a Casa do Brasil é uma das maiores associações de brasileir@s em Portugal,  em Lisboa, e agora com uma linda e nova sede!
O evento de inauguração será dia 16/10 das 13h às 01h na Rua Luiz Soriano, nº 42 - Bairro Alto.
Podem conferir mais detalhes da festa no cartaz abaixo.

Até lá pessoal!

quarta-feira, 29 de Setembro de 2010

Fiquei doente - Parte II

Voltando as questões de saúde.
   No Brasil os planos de saúde particulares estão muito difundidos, a maioria da população luta para ter um e assim não ter que passar o calvário nas filas dos hospitais públicos.
   Chegando aqui em Portugal a maioria do pessoal tenta imediatamente fazer tudo o que fazia no Brasil, sem antes tentar perceber como as coisas funcionam em um país diferente.
   No caso dos planos de saúde acontece muito isso. A brasileirada chega aqui e vê os preços dos planos de saúde super baixinho, em torno de 20 a 50 euros por mês, digo baixinho em relação ao custo dos planos de saúde no Brasil, que podem chegar facilmente a mais de 500 reais por mês.
   Então, vendo logo um preço assim tão reduzido, todo mundo começa a fazer planos de saúde, e se esquecem de se informar e ver que, assim como no serviço público, os planos de saúde são comparticipados, ou seja, você vai pagar um pouquinho cada mês, mas todo serviço que você utilizar, desde uma simples consulta, até internações vão ter um custo adicional. Em média a comparticipação de uma consulta fica em torno de 12,50€, acresce a isso uma taxa anual de adesão, que fica em torno de 50 euros e sempre há reajuste do preço do plano por ano.
   Já vi muitos casos de brasileir@s arrependid@s de terem feito planos de saúde para mesmo assim terem que pagar quando usa, sabendo que no serviço público se paga bem menos.
Outro alerta! Apesar de estarmos em um país de "primeiro mundo", isso não quer dizer que a medicina aqui é melhor ou pior do que no Brasil. Aqui cometem-se muitos erros médicos, há discriminação de médicos e outros profissionais de saúde em relação a imigrantes e também há especialidades médicas que são boas aqui em Portugal e no Brasil não, e vice-versa. Temos no Brasil algumas áreas muito avançadas em medicina, que podem ser melhor tratadas lá. Portanto se tiver dúvida sobre algum diagnóstico, peça outra opinião até se sentir confortável e segura(o) do seu encaminhamento médico.

   Agora uma outra informação. Se você ficar doente, algo não muito grave, uma indisposição, uma espinhela caída, ou outra ziquizira qualquer, e você faltar ao trabalho e o médico te der uma baixa médica de 1,2 ou 3 dias, essas baixas serão descontadas do seu salário. Só uma baixa acima de 3 dias de falta é que não há desconto. Mas atenção, quem cobre os seus dias de falta é a Segurança Social, ou seja, por exemplo: você recebe do médico uma baixa de 5 dias, e vai a segurança social entregar essa baixa para receber os cinco dias, não é o patrão que paga as suas faltas, ele irá descontar do seu salário e o complemento virá posteriormente pela Segurança Social. Tudo isso claro se seu patrão faz os devidos descontos salariais para a Segurança Social, e se os faz em dia, porque se houver alguma dívida ou furo nas suas contribuições você perde todo o direito.
   Caso você não tenha descontos, seja lá pelo motivo que for, e venha a ficar doente e precise faltar, vá mesmo assim ao médico, peça uma declaração com os motivos da sua doença, com os dias que precisa ficar em casa e toda informação que puder. Digo isso porque quando o trabalhador tem uma relação precária de trabalho e falta  por motivos de doença, muitos patrões se aproveitam dessa situação para fazer uma demissão por justa causa, por você ter faltado ao trabalho, e se você tiver papéis que comprovem que você se ausentou por motivos de saúde você pode recorrer a essa demissão arbitrária.

Portanto minha gente, vamos cuidar da saúde, não vamos ter medo de ir aos hospitais. Se você não cuidar de si, ninguém mais o fará!

domingo, 26 de Setembro de 2010

Fiquei doente e agora?

Vamos falar de saúde!
   Essa é uma questão muito delicada para tod@ e qualquer imigrante. Em um momento de fragilidade, quando ficamos doente e  estando em um país estranho e longe de nossos amig@s e familiares, vem a tona todos os tipos de medo e insegurança.
   Aqui já vi muitos casos de brasileir@s se recusarem a ir ao hospital público, com medo de ser pego pela polícia por não ter residência. ISSO NÃO É VERDADE, NENHUM IMIGRANTE É PRESO OU LEVADO PELO SEF EM HOSPITAIS OU SERVIÇOS DE URGÊNCIA.
Independente da tua situação no país, você tem direito a um atendimento médico, basta somente apresentar um documento de identificação, repito, não é preciso estar regularizado para poder usar os serviços de saúde.
   É claro que há muita confusão nos serviços administrativos de saúde, que se guiam pela lógica do senso comum e por vezes discriminam @s imigrantes irregulares, por achar que imigrantes sem residência não tem direito a nada. Mas isso é uma mentira, e a saúde é um direito humano universal, e se caso você venha a ser impedid@ de ter qualquer tipo de tratamento por esse motivo, reclame, peça para falar com alguém superior e deixe uma queixa no Livro de Reclamações.
   O sistema de saúde pública português é universal, mas comparticipado, o que quer dizer que cada cidadã(o) paga uma taxa mínima pelos seus serviços. Uma consulta fica em torno de 2,50€, e uma consulta de emergência fica em torno de 9 €. Tudo está tabelado, é preço fixo que você pode saber de antemão para evitar de ser burlad@. Essa taxa fica um pouco maior caso você não tenha feito descontos para a segurança social.
   Aqui acontecem a maioria das confusões, porque muitas vezes @s imigrantes tem em dia sua contribuição na segurança social, mas não estão regularizados, e os serviços de saúde registram as pessoas nos centros de saúde como temporárias, ou seja,  os utentes (usuários) temporários são os que pagam as taxas maiores. Porém essa categoria temporário se enquadra para aquelas pessoas que não estão contribuindo para a Segurança Social, e não para casos de imigrantes irregulares. Toda e qualquer pessoa que paga a Segurança Social tem direito a ter um registro permanente nos centros de saúde e pagar as taxas menores. Atenção a isso, porque muitos imigrantes estão pagando a mais os serviços de saúde sem saber.
   Você tem que fazer a inscrição no centro de saúde (posto de saúde no Brasil) do seu bairro, não pode ser em outro. Para a inscrição é preciso levar um documento de identificação, um comprovante de morada e seu número da segurança social. No centro de saúde vão lhe atribuir um médico de família, que vai te acompanhar em todos os seus casos de enfermidade, se precisar de algum tratamento especializado, este só pode ser indicado pelo seu médico de família. Geralmente seu médico de família será o mesmo para toda a sua família, o nome não é por acaso. Muitas vezes há falta de médicos de família nos centros de saúde, e você então passa a ser atendido pelo médico do dia, até chegar a sua vez de ser atribuído um médico permanente.
   Para saber qual o centro de saúde do seu bairro basta ir a Junta de Freguesia se informar.

No próximo post falarei das diferenças entre o sistema de saúde pública e os planos de saúde privados.
até já!